domingo, outubro 07, 2007

nota do dia (23)

O que mais me custa quando regresso de uma viagem não é o recomeço do trabalho nem da rotina diária normal. É antes a sensação de que vivo numa cidade que morre a cada dia que passa. Deprime-me caminhar no Porto às dez horas da noite. Em qualquer outra cidade europeia, à mesma hora, eu seria mais um elo na longa e agitada corrente de vida humana, aqui não passo de um dos quatro ou cinco fantasmas que assombram os Aliados.

8 comentários:

Luciana Melo disse...

Saudades imensas de ti, meu portuga querido.
Bem-vindo à casa!

Sandman of the Endless disse...

Oi, Vítor! Bom retorno! =)

maria disse...

é bem verdade

Ente lectual disse...

parabéns pelo blog.

Luciana Melo disse...

Agradecemos a visita e os cumprimentos!
;o)

AF disse...

Porque, na realidade, todas as cidades morrem a cada dia que passa.

Vítor Leal Barros disse...

minha querida desculpa-me a falta de tempo, mas últimamente tem sido difícil dedicar-me ao blog...

espero que tenhas recebido o e-mail que enviei antes de ir de férias e que esteja tudo bem ctg... dá notícias

um beijo

Luciana Melo disse...

Recebi, sim, meu amigo, mas só agora estou colocando minhas coisinhas em ordem... fiz mudança e tudo estava a maior bagunça. Em breve te respondo.
Outro beijo, imenso!
Tua Lu