terça-feira, dezembro 05, 2006

Teorias amorosas (10)

“Prometo te querer
até o amor cair
doente, doente”.

Depois de colocar-me definitivamente para fora de sua vida, disse, comovida como o diabo, as seguintes palavras:
“Apesar da separação (tão desejada por ti), continuo amando-te. Não te envaideças por isso. O mérito é todo meu. Independente de ser ou não correspondida, vou amar-te até o fim, até o fim do meu amor”.
Parti. Estava livre, mas sentia-me estranhamente vazio.

2 comentários:

Vítor Leal Barros disse...

sou daqueles que acreditam que quando se amou verdadeiramente nunca mais se deixa de amar, haja o que houver... venha o que vier...

quando se vê o brilho do diamante é impossível esquecê-lo, mesmo que seja ele a rasgar-nos o coração

um beijo e desculpa a ausência

luciana MELO disse...

Não há de ser nada, querido... em alguns dias faço a cobrança com juros e correções :o)
Beijos