sexta-feira, abril 21, 2006

sublinhado (25)

"Por trás de todas as nossas paixões por um género de vida, há um ou vários seres. Não se galopa muito tempo sozinho no vazio; não se afronta muito tempo sozinho um vendaval no mar." (pág. 179)
O quê? A Eternidade (Difel), Marguerite Yourcenar

2 comentários:

luciana MELO disse...

Considero-me afortunada por dividir as tormentas com poucas, mas raríssimas pessoas. É difícil confiar a outro o leme no momento de fragilidade. A despeito de toda a decepção, eu teimo em acreditar.

luciana MELO disse...

corrigindo: com poucas, mas maravilhosas pessoas.
Acho o sentido de rara que pensei refere-se à preciosidade/unicidade delas, ao fato de serem como a rosa do Pequeno Príncipe: uma dentre tantas.